Esquizofrenia 2

“As pessoas não estão lá muito preocupadas em pensar ou existir, agora é aparecer para existir, ficar famoso”. Foi mais ou menos isso que disse Márcia Tiburi no Programa do Jô esses dias, sobre o “penso, logo existo”.

O número de amigos no orkut é mesmo coisa do passado. Você ainda quer amigos ou prefere virar hit no youtube, ser retuitado por uma web celebridade ou ter seu blog linkado por um blogueiro famoso?

Mais acesso, mais admiração, mais “fãs”. “Admirar é o novo gostar“, escreveu a Juliana Cunha esses dias. Ninguém mais quer ser amigo de igual para igual, prefere um pódio ou nem isso, um palco.

E cada um monta um espetáculo diferente – quer dizer, é tudo meio parecido, né? Tem gente que dá show de críticas e reclamações, outro de ironias, uns fazem a melhor interpretação de uma drama queen, muitos fazem (ou tentam) um número de stand up e elegemos minuto a minuto qual é o melhor… do minuto.

Mundo instantâneo demais. Menos é mais. Subtrai palavras para multiplicar audiência, seguidores, sucesso. E aí num só dia nascem “tendências” e morrem modismos. Offline por um dia e já perdi as referências do que meus amigos falam. Uma piada, um jeito novo de dar “oi” (tipo “bom dia para você que sei lá o quê”), last week já está mais pra last year e eu mal chego ao fim do dia sem ficar perdida.

O mais incrível dessa esquizofrenia toda é que as pessoas falam, falam e falam sem saber direito quem lê, torcendo por um “like” e não param pra ler os outros. E aí não percebe o quanto pode estar sendo chato, inconveniente, repetitivo… É só observar. Ok, tem espaço pra todo mundo, mas acho muito que devia ter uma rede social para cada tipo de estado de espírito.

Melissa outro dia falou: “No Facebook tá todo mundo feliz, no Twitter todo mundo reclama”. É, a divisão já está sendo feita. Deviam direcionar os usuários para uma rede social que mais se adeque ao seu estado de espírito. E aparecer avisos, do tipo:

“Atenção, este é o seu 15º post com a palavra “depressão”. Seu login será bloqueado por um mês. Favor se dirigir a rede De-press, que é a que mais se encaixa ao seu perfil. Obrigada, volte quando tiver piadas melhores.”

Obs: ou ainda, como sugeriu o Alexandre Santos, já que o Facebook tem o “Curtir”, o Twitter deveria ter um “Foda-se”

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Prosas

3 Respostas para “Esquizofrenia 2

  1. Débora, esse post tá bom demais, meus parabéns.

    Olha que interessante, eu sou super odiada na blogosfera (minha caixa de e-mails testifica). Isso para mim é mais legal do que ser super admirada, afinal, minha essência é reclamona, questionadora.

    Não gosta do blog? Que ótimo! Simples assim…

    Você nem entrou na questão dos blogues que sorteiam objetos somente para seguidores, numa tentativa desesperada de aumentar o número de falsos admiradores. Acho isso uma das coisas mais estranhas e sem senso da blogosfera.

    E sobre o Orkut, sempre desconfio de quem tem 500 amigos na lista.

    Status virtual é o esgoto da vez.

    Um beijo!

  2. Rede social para cada tipo de personalidade. Taí uma ideia que pode dar um grana! Hahaha.

    Ótimo texto!
    Beijos

  3. Galê

    Maneiro esse texto aí hein. Continue assim…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s