Sexo, amor, solidão

Achei as páginas negras da Trip com o Contardo Calligaris. Veio a calhar nesse domingo chuvoso cheio de pirações sobre essas coisas todas de sexo, amor, solidão. Destaques:

“Quando as relações se tornam totalmente carinhosas e as pessoas começam a falar como bebês, daqui a pouco somos o Mickey e a Minnie e vamos dormir com o pijaminha da Disney. Pode ser legal, mas aí a gente vai acabar não transando mais”

“Quem quer mudar as coisas facilmente esquece de contar-se entre os itens a serem mudados”

“Eu acabo de pedir um Guaraná Diet e poderia envenenar a bebida com o lamento da Coca que não pedi. A maior lição da psicanálise é esta: qualquer desejo implica perdas

“o desconhecido que tem valor erótico”

“Eu não acho que as relações “apaziguadas” sejam as melhores. Nem que seja grande problema, num casal, de vez em quando voarem uns pratos. É a briga que permite o sexo. Não que você precise sair brigando para depois transar. Quero dizer que a briga serve para quebrar o nhenhenhém. Porque o sexo implica uma certa distância.”

“A internet é um instrumento incrível de reativação das fantasias. As pessoas se encontram pra caramba graças a ela (…) A internet permitiu a milhões de pessoas assim descobrirem que não eram as únicas

“Qual é a melhor viagem: visitar as capitais européias num “tour” de 15 dias ou passar duas semanas numa cidade só e conhecê-la um pouco? É mais interessante manter um casamento complicado do que multiplicar as ou os amantes”

(e aí eu fico surpresa em pensar que o fato de escolher ficar mais tempo na Espanha do que fazer um mega tour pela Europa diz tanto sobre o que quero – e eu nem sabia!)

“Você pode escolher entre ficar em casa ou pegar a estrada e, sem dúvida, faz e fará um pouco dos dois. Mas, quando estiver em casa, tente não sonhar com a estrada e, quando estiver na estrada, tente não lamentar o calor do lar.Vivemos de sonhos e de nostalgias: é necessário cuidar para que essa alternância não nos mantenha constantemente afastados do momento presente”

Concorda? Discorda? Não sabe? Bom, ficam as reflexões de brinde, at least 😉

Obs: Já falei sobre ele e sua série “Solidão Urbana” no twitter aqui no blog antes.

Obs2: Ilustração de Daniel Klein, tirada do flickr dele

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Prosas

2 Respostas para “Sexo, amor, solidão

  1. pat

    Ai, posso dizer? Quero dar pra esse cara.
    #prontofalei

    hahahah

    Filho da mãe, jogar tantas verdades assim.

  2. Bruno Leao

    Bem interessante as frases escolhidas. Gosto muito do Contardo. Acompanho sempre sua coluna na Folha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s