Serra Negra

IMG_1144

Guia de Serra Negra no UOL

A princípio pensei que não teria muito o que fazer por lá. Cidade pequena, pouco divulgada, mais uma do Circuito das Águas, mais uma que vende malhas, certo? Errado. Me encantei por Serra Negra, como há muito tempo não simpatizava por um lugar específico. Me lembrou Monte Verde, por causa do clima, por ter paisagens bonitas, cafeterias, queijos e vinhos (não tanto quanto Monte Verde, mas tem uma pegada mineira, sim).

Talvez o fato de ter um festival de música na cidade enquanto estive por lá tenha influenciado, mas o fato é que essa viagem me deixou meio sensível. Outra coisa que colaborou foi a atmosfera romântica do lugar. Visitei alguns hotéis para a matéria [um deles em especial, a Pousada Shangrilá (que apesar do nome, eu super recomendo pra luas-de-mel, tem suítes temáticas e fica no topo de uma montanha. Lindo!)], a maioria com chalés graciosos, rústicos, com lareira…flores e cheiro de vinho por todo o lugar. (perigoso para quem estiver de TPM ou numa pior após um fora – meu deus, que dica de Capricho, não?)

Eu que não gosto muito de animais, achei uma delícia passear pelas fazendas do circuito de turismo rural, visistar cafezais, acompanhar o processo de fabricação de queijos (aí entram os animais, no caso, vacas) e vinhos, uma coisa meio bucólica que eu achava sem graça, mas que (lá vem o clichê) no meio dessa correria de São Paulo, essa pausa e o contato com a natureza são muito bem vindos. Tava muito frio para um banho de cachoeira, mas tem muitas por lá e todas lindas e bem conservadas É outro passeio possível.

Além do campo, o centro urbano mesmo é uma graça. As calçadas todas tem banquinhos simpáticos e tem várias praças com fontes de água mineral por toda a cidade. Charmoso. Pra quem curte fazer compras, lá também tem bastante opções, muitas lojas de malhas e artigos de couro, com preços ótimos e variedade de produtos.

É ideal para passar um fim de semana. Dá tempo de fazer tudo isso e ainda descansar. Ainda quero voltar lá em duas ocasiões: no auge de um namoro e num fim de semana que me der a louca para me enfiar na Cavalgada da Lua Cheia. Sim, tem uma turma que promove um passeio durante a noite a cavalo pelos sítios da região, com paradas para fazer uma boquinha, um luau em volta de uma fogueira enquanto rolam umas histórias folclóricas de terror. Deve ser sensacional.

Além de tudo…só escrevi sobre essa viagem porque foi lá que redescobri o prazer de viajar, de conhecer gente que dificilmente vou encontrar de novo, conhecer histórias de lugares aparentemente simples, mas cheios de beleza e sutilezas, de me (re)conhecer em lugares sem ser o meu quarto e a redação…e viver essas coisas que a gente vive querendo experimentar e não sabe nem por onde começar. E talvez lá tenha se iniciado um processo de destruição desse lado sem-sal, imparcial e sóbrio…se é que algum dia esse lado realmente existiu. Veremos!

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Botecos

Uma resposta para “Serra Negra

  1. Felipe

    É.. se realmente esse lado um dia existiu..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s