É dia de feira

Lonas azuladas e alaranjadas compõem a maior parte do cenário, junto com caminhões, kombis e caixotes de madeira pra tudo quanto é lado. O verde predomina em tons que variam do quase transparente da alface americana ao tom mais escuro da couve mineira, mas perde pra variedade de cores das frutas, legumes, sem contar os chinelos e bugigangas diversas que a gente tromba entre um pastel e outro. A cada barraquinha que passamos, a gritaria frenética fica mais engraçada, criativa e ensurdecedora (apesar do alto nível de decibéis aplicado no grito, tem verdadeiros repentistas por lá!). Ah sim, tem também o cheiro de caldo de cana e pastel — a  característica mais particular de uma feira de rua.

C_2008261047411Sou fascinada por feiras! Menos pelo consumo (odeio fazer compras), mais pelo passeio, pela variedade de pessoas, tranqueiras e delícias. E muito pelo clima de fim de semana. Tudo bem que tem aqueles micro traumas de infância de ter que ir com a mãe porque TEM-QUE-IR (e aí levava bronca por causa da cara emburrada), ou então aquele cachorro pulguento que cismou com você, não te largou e te assustou…Sem contar o lixo e o cheiro que fica a rua pós-feira. É, quem mora numa rua que tem feira deve sofrer. Mas no meu caso, é só diversão!

Sempre rolam uns encontros inusitados com a mãe da sua amiga da terceira série, ou ainda aquele ex-namorado de outra amiga que já foi pra Febem (ok, vamos situar o leitor: estamos falando de feiras da zona sul, nada de Pompéia e outras áreas mais favorecidas) até amigos das antigas mesmo. Ah, sem contar, claro!, as novas amizades, porque os moços das barraquinhas são uma simpatia que só (na maioria dos casos). Eles cantam, te cantam, te fazem “aquele preço bacana”, te dão um pedacinho de manga pra provar, fazem piada, só alegria!

É como se a atmosfera do interior, de outras épocas, de outros cantos, invadisse seu bairro. Essa integração, a movimentação, os encontros sociais desse tipo, com tamanha descontração, só acontecem em feira mesmo! As feiras trazem um pouco de caos pro lugar porque transforma o espaço, tira tudo da rotina, uma loucura. O engraçado é pensar que a feira, que é uma forma de comércio antiga, não é mais “a” rotina e hoje já está quase sumindo. Os megasupermercados e suas geladeiras, eletrodomésticos e caixas infernalmente lotados tomaram o lugar da interação na rua, dessa coisa gostosa que é ir pra feira sábado de manhã.

Foto: Studio Milton Dória

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Petiscos

Uma resposta para “É dia de feira

  1. Simão

    Aproveite também a feira de domingo da minha rua.
    Ótima pedida!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s